Medo da Perda

Um dos erros capitais mais importante de uma relação doente é o medo excessivo da perda. Uma mulher inteligente se entrega sem medo, mas não destrói sua identidade em função do outro. Doa-se muito, mas não respira o ar dele. É afetiva e generosa, mas jamais deixa de ter órbita própria.

Quem tem medo da perda já perdeu. Perdeu sua autoconfiança, autoestima, a dimensão de sua imagem. Perdeu também a habilidade do seu Eu em ser o gestor de sua mente. Se você fez tudo por um homem, cuidou, amou, protegeu, investiu em seus projetos, e, por fim, ele partiu, não deve se autodestruir, diminuir-se e achar-se uma tola.

Como já disse e repito, deve, sim, gritar em sua mente que quem perdeu foi ele e não você. Deve estar consciente de que ele perdeu uma pessoa fascinante, unica, exclusiva, enfim, perdeu você. Se não tiver essa postura, certamente se deprimirá.

A ditadura do medo da perda esmaga a autoestima de uma mulher ou de um homem. Quem tem medo da perda apequena seu mundo social. Os amigos diminuem, os projetos se contraem, as relações sociais ficam escassas, alegria evapora-se. Girar-se em torno dele(a). Não aceitar a perda é a melhor maneira para perder.

A dor da perda leva alguns ao suicídio ou ao homicídio, se não físico, pelo menos emocional. É incrível que, apesar d vivermos em sociedade livre, há muitos escravos no território da emoção. Tem baixo nível de resiliência, não sabem sofrer  a perda.

Uma mulher inteligente nunca pressiona seu parceiro para ficar. Tem dignidade na separação. Pode sofrer, mas não faz chantagens. O seu parceiro pode abandona-la, mas ela jamais se abandona. Não implora pra ele ficar. Ela é capaz de dizer para si constantemente: “Os melhores dias estão por vir!”. Quando elas tem uma postura madura e digna, não poucas vezes seus homens quebram a cara e voltam. Descobriram q perderam uma perola. São eles, agora, que choram para voltar.

Ninguém é digno de um belo romance se não usar suas lagrimas para irriga-lo. Ninguém é digno de escrever uma bela historia de amor, senão aprender a reconhecer os próprios erros e não usa-los para escreve-la.

Que você possa escrever uma bela historia de amor.

E, se escrever, não tenha medo de falhar.

E, se falhar, não tenha medo de chorar.

E, se chorar, não tenha medo de suas lagrimas.

Repense sua vida, não desista.

Não cobre demais de si e do outro.

Dê sempre uma nova chance para si mesma…

Texto extraído do livro: ”Mulheres Inteligentes, Relacionamentos Saudáveis”

Augusto Cury

Anúncios

Amor Sacrifical

Desde que eu soube deste caso, nunca o esqueci. Para mim, é um dos melhores exemplos do que é o amor verdadeiro, o amor-sacrifício. Jan Grzebski era um ferroviário polonês. Em 1988 ele sofreu um forte golpe na cabeça enquanto tentava engatar dois vagões de trem e entrou em coma. Jan foi desenganado pelos médicos, que também encontraram um câncer em seu cérebro. Segundo eles, a recuperação era impossível, e ele não sobreviveria. Gertruda Grzebska, esposa de Jan, ignorou aquela palavra derrotista e decidiu levá-lo para casa e cuidar dele sozinha.

Jan não falava, não andava, não se comunicava de maneira alguma, nem interagia. Todo relacionamento que tiveram não existia mais, o marido forte com quem convivia há anos era agora um bebê totalmente dependente de seus cuidados. Ela terminou de criar sozinha os filhos, enquanto se esforçava para manter vivo o marido, que era capaz apenas dos movimentos mais básicos, como respirar, engolir, abrir e fechar os olhos. Ainda assim ela se revoltava quando alguém sugeria eutanásia (com a desculpa de ”interromper o sofrimento”), pois acreditava que o certo era dar a ele a chance de se recuperar. Todos os dias, Gertruda falava com o esposo como se ele pudesse ouvir, cuidava para que ele não ficasse muito tempo na mesma posição na cama, virando seu corpo para evitar as temidas úlceras de pressão, comuns em pessoas acamadas, quem podem levar à morte por infecção. Os filhos foram crescendo, se casaram, e lhes deram netos. Gertruda levava o marido para todas as principais destas da família, como se pudesse participar delas.

A incansável Gertruda teve sua suas recompensa em 2007. Após dezenove anos em coma, Jan finalmente despertou, aos 65 anos. Os médicos creditaram a recuperação à esposa, que optou pelo caminho mais árduo. Jan estava ainda mais ligado a ela, pois se lembra de que Gertruda esteve ao seu lado quando ele mais precisava. Ela fez o que era certo e melhor para ele, abrindo mão de sua própria vida para cuidar do marido, sem cobrar nada dele por isso. Acreditou , quando nem os médicos acreditaram, esperou, perseverou… e foi recompensada.

Durante o coma, Gertruda descrevia o esposo como ”um cadáver vivo”, mesmo assim permaneceu ao seu lado. Não houve sentimento no q ela fez, nem romance, foi puro sacrifício, o verdadeiro amor. Mas você consegue pensar em uma atitude mais romântica? Nenhuma história de amor é mais bonita do que as que envolve o amor sacrificial. Gertruda recebeu uma merecida medalha de honra ao mérito do presidente polonês, por sua dedicação e sacrifício, tamanha a raridade desse tipo de amor nos dias atuais.

Diante da realidade que Gertruda viveu por dezenove anos, as perguntas são inevitáveis: O que você teria feito no lugar dela? E o que são os problemas que você tem enfrentado no seu casamento? Como desistir do seu cônjuge?

O amor verdadeiro é o amor marcado pelo sacrifício. É caro. Amor não é sentimento. Ele inclui sentimentos, mas não é definido por eles. O mundo tem associado amor com sentimento em uma receita bastante indigesta: pega a palavra ”amor”, a vontade de estar juntos, o ciúme, a cobiça, o desejo sexual… junta tudo e, através do cozimento na musica, nos filmes, na arte em geral, faz o público acreditar que isso é amor. Não é. É pirataria. O que define o amor são duas coisas conectadas: Fazer o que é certo para a outra pessoa e sacrifício.

Somente o amor sacrificial é capaz de vencer tudo. É o amor caro, genuíno. Cuidado comi imitações baratas.

Por: Renato Cardoso (extraído do livro ”Casamento Blindado”)

Hábito não Atraente N°2- Insegurança Constante

“Eu pareço gorda com essa roupa?”

“Você ainda me ama?”

“Você acha que ela é mais bonita do que eu?”

“Eu sou bastante atraente para você?”

A insegurança constante deixa os homens furiosos e alimenta a ilusão do seu ego de que você é deficiente em alguma coisa e ” menos que” alguma coisa. Quando você acolhe os pensamentos de insegurança, você cava um buraco sem fundo que nunca oide ser preenchido, independentemente de quantas promessas receba. Isso aconte porque a ideia de que você é “menos que” é falsa. Ela é uma ilusão. Uma ilusão nunca pode ser eliminada porque, antes de tudo, não é algo real.

A insegurança e falta de confiança pertencem ao conjunto humano natural de emoções e nunca desaparecerão completamente. Tenha certeza que todo mundo no planeta tem sentimentos de “Eu não sou boa o suficiente” aqui e ali. A chave para ser irresistível não é favorecer ou impedir que esses pensamentos surjam. Não resista a eles também! Simplismente permita-se notar ou observar aqueles sentimentos e dizer “Hum… não é interessante?”, ou, melhor ainda, “Estou pensando naquilo de novo… E daí?” e redirecione sua atenção para o exterior. Quando surgirem sentimentos de insegurança, permita-lhes simplismente passar pela sua mente como nuvens flutuando pelo céu.

Não bloquear pensamentos inseguros é uma habilidade que pode ser aprendida e sem dúvida uma obrigação, se você quer ser irresistível. É como se você pudesse tanto investir em sua falta de confiança como na sua irresistibilidade. Eu sugiro a última.

Aqui está uma dica: se você acha que aparenta estar gorda quando usa determinada roupa, provavelmente você está mesmo. Eu sei que parece cruel, mas é verdade. em todas as roupas foram feitas para todos os tipos de corpo. Prefira roupas em que você sabe que fica fantástica e que ressaltem seus atributos. Abra o guarda-roupa com uma amiga de confiança e elimine as roupas que fazem você se perguntar: “Eu pareço gorda?”.

Aqui está outro ponto importante. Não importa o quão magra, bem-sucedida ou atraente você seja, a insegurança não desaparece. Isso acontece porque você nunca consegue discernir um falso pensamento interno de uma realidade externa. É como tratar o sintoma em vez de curar a doença. O modo de curar a doença da insegurança é se permitir sentir-se insegura (em outras palavras, não resistir a ela). Mas também não insista nela. Em vez disso, direcione a sua atenção para o q está acontecendo ao seu redor. O que pode significar ouvir uma conversa até o fim, ou tomar uma atitude de organizar a sua mesa. Onde quer que você concentre a sua atenção a sua atenção, a energia flui. Se você simplismente notar pensamentos de insegurança sem tomá-los como pessoais ou fazer com que eles adquiram algum significado, verá que eles ocorrerão com menor frequência. Você também e comprometida em sua vida — que é a chave para libertar a sua autêntica irresistibilidade.

Para ser honesta, a maioria de nossos pensamentos é pura tagarelice mesmo (sim, é um termo científico). Nada tem sentido, além daquele que atribuimos. Com a prática, podemos treinar para não levar nossos pensamentos tão a sério ou para o lado pessoal — especialmente os que não são estimulantes. Quando eles aparecem, simplismente diga “Obrigada por me avisar”, e siga sua vida.

Por: Marie Forleo

10 Característica que definem a Mulher Poderosa

1. Ela mantém a própria independência.
Não importa se ela é garçonete ou empresária. Ela gosta do que
faz e da capacidade de se sustentar com seu trabalho.
2. Ela não corre atrás do homem.
A lua, o sol e as estrelas não giram em torno dele. Ela não corre
atrás do homem nem vigia seus passos. Ele não é o centro do
Universo.
3. Ela é misteriosa.
Existe uma diferença entre ser verdadeira e dizer tudo o que
sente. A mulher poderosa escolhe o que quer revelar e tem um
universo próprio. Nesse sentido, ela é imprevisível e desperta a
curiosidade.
4. Ela deixa espaço para que ele sinta saudade.
Ela não o vê todas as noites, não deixa longas mensagens em
sua caixa postal nem se torna íntima da secretária dele logo
após o primeiro encontro. Os homens gostam de sentir falta da
mulher – isso os estimula.
5. Ela procura resolver os próprios problemas.
Ela não despeja sobre ele suas preocupações, sobretudo no início
do relacionamento. Busca outros recursos, reflete e, se acha
conveniente, divide com ele as questões resolvidas. Procura
acalmar-se antes de conversar.
6. Ela mantém o controle.
Ela vai devagar, principalmente quando ele tem pressa. Ela se
move no próprio ritmo, e não no dele, evitando que ele assuma
o controle sobre ela.
7. Ela não perde o senso de humor.
O senso de humor dá leveza à relação e demonstra seu desprendimento.
Entretanto, ela é capaz de tratar com seriedade
qualquer questão que ele levante.
8. Ela se valoriza.
Quando ele a elogia, ela agradece e não tenta convencê-lo de
que está enganado. Ela não pergunta sobre a ex-namorada dele
e não compete com outras mulheres.
9. Ela tem paixão por outras coisas além dele.
Uma mulher com múltiplos interesses é muito mais fascinante
do que aquela cujo único foco parece ser o homem. Como ela
tem vida própria e independente, ele terá uma parceira com
quem trocar experiências. E a mulher poderosa não se sente sozinha
e relegada a segundo plano quando ele está ocupado com
outras coisas.
10. Ela trata o próprio corpo com gosto e entusiasmo.
Ela cuida da aparência e da saúde. A auto-estima e o respeito de
uma pessoa por si mesma se refletem na aparência física. Ela
não deixa de usar batom vermelho porque ele não gosta dessa
cor. Também não abre mão de se cuidar só para ficar mais
tempo com ele. Mesmo porque um homem que não deseja que
a mulher se cuide não merece qualquer atenção. Fuja dele!

Hábito Não Atraente N° 1- Carência, o maior repelente de homens

Quando foi a última vez que você ouviu um cara dizer: “Adivinhe? Eu encontrei essa gostosa carente ontem á noite!”. Provavelmente nunca, Porque ser carente é o maior repelente de homens. Se você você acredita que está incompleta e espera que um relacionamento resolva os seus problemas, você esta sendo carente. Os homens notam essa carência  e irão efitivamente repeli-la.

Aqui estão alguns comportamentos clássicos de carência para indentificar:

•Mandar emails ou telefonar obssessivamente (especialmente para verificar e saer se “está tudo bem”).

•Verificar a sua caixa de mensagem e de e-mails compulsivamente.

•Dizer a um homem que “você precisa dele para ser feliz” ou que “ele a faz tão feliz”.

•Dizer incessantemente “fiquei com saudades…”

•Perguntar toda hora onde ele está e o que está fazendo.

•Ter “acessos de raiva” silencioso ou não quando ele não lhe dá devida atenção.

•Desejar insaciavelmente que ele aprove como você está vestida e o que está fazendo.

 

A carência vem do desespero e é um grande balde de água fria. Esse hábito transcede o comportamento e também é energicamente transmitido como ondas de rádio que os homens ouvem em alto e bom tom. Então, mesmo que você evite ligar de forma obsessiva ou fique verificando seu e-mail compulsivament e finja que está controlada, ele sentirá a sua verdadeira energia desesperada e irá pular fora.

Outro ponto importante é que essa carência pressiona bastante  um homem. Ele sentirá uma exigência constante para ter um homem. Ele sentirá uma exigênciaconstante para ter um bom desempenho perante você, ser perfeito, ou corresponder ao seu modelo idealizado dele, ou seja lá o que for. Se ele comete um “erro”, não apenas terá de lidar com as suas próprias consequências, mas irá sentir-se responsável pela sua felicidade também.

Além disso, quando você tem a falsa ideia de que precisa dele para ser feliz ou fala para ele várias vezes que ele a faz feliz, você despediça todo o seu poder. Seu bem-estar está constantemente á mercê de outra pessoa. Você fica menos poderosa, e uma mulher sem poder, minha querida, é qualquer coisa menos irresistível.

Por: Marie Forleo

SEXO: Exercício de Pomparismo

 

O pompoarismo é uma técnica milenar de origem tailandesa que tem por objetivo exercitar os músculos vaginais a fim de ter maior controle sobre eles, melhorando assim a oxigenação da região, prevenindo incontinências urinárias, aumentando a força da contratura vaginal e consequentemente dando maior prazer ao homem e á mulher.

As técnicas de pompoarismo respeitam os princípios do fisioculturismo: exercício, determinação, uso da mente e repetição. Os resultados do pompoarismo começam a surgir após 6 meses de treinamento diário e a mulher irá exercitar a musculatura que circunda a vagina, incluindo o anus e o períneo também.

É sabido que os orgasmos das mulheres que praticam pompoarismo são muito melhores, até mesmo porque o exercício aumenta a vascularização do local, aumentando em muito a sensibilidade do clitóris internamente (saiba que o seu clítoris é muito maior do que você pensa) e quando á a compressão do músculo vaginal segundos antes do orgasmo a mulher pode senti-lo mais fortemente. No homem, as sensações de prazer são mais óbvias ainda, visto que a vagina estaria capacitada de fazer com o pênis o que a mão faria, ou seja, a força aplicada do músculos vaginal sobre o pênis tem resultado indescritível. Segundo os homens, eles nunca esquecem o sexo com uma mulher que faz pompoarismo.

E já que os exercícios são fáceis e o resultado inesquecível, vamos começar a praticar?

1. Sentada numa cadeira, contraia os músculos da vagina como se apertasse algo dentro dela. Conte até três e relaxe. Repita dez vezes. Depois, contraia e relaxe rapidamente, como se quisesse imitar o ritmo de uma respiração ofegante. Conte até dez novamente. Total: 20 repetições.

2. Deitada, flexione as pernas e eleve o quadril, da mesma forma como se faz pilates. Fique apoiada apenas sobre os ombros e os pés. Contraia o bumbum, conte até três e solte. Faça dez vezes. Deite na cama e relaxe o corpo por alguns instantes. Depois, volte à posição anterior e contraia o ânus em três tempos, sem relaxar entre um e outro: de leve, mais forte e com toda a intensidade. Faça dez vezes. Relaxe e repita o exercício, só que dessa vez você irá contrair não só o ânus, mas também a vagina como se quisesse sugar alguma coisa com ela. Mais dez vezes. Total: 30 repetições.

3. Recostada na cama, separe as pernas e deixe-as semiflexionadas. Pegue uma banana e coloque um preservativo em torno dela, introduza na vagina. Faça dez vezes. Depois, tente sugar a banana com a vagina. Ajude com a respiração: na hora do movimento de sucção, inspire e prenda o ar. Conte até três. Repita dez vezes. Total: 20 repetições. Depois observe a deformidade na banana, com o passar dos dias você perceberá que a banana estará ao final do exercício mais deformada. Através disso você mensura o aumento da sua força muscular dentro da vagina.

4. De pé, com os pés paralelos e distantes 20 centímetros um do outro, contraia o bumbum. Tente unir as nádegas o máximo que puder. Conte até três e relaxe. Faça dez vezes. Repita o exercício contraindo e soltando rapidamente, como se acompanhasse uma respiração ofegante. Conte dez vezes. Total: 20 repetições.

5. De pé, com as pernas semiflexionadas e as mãos na cintura, mova a pélvis para cima e para frente, contraindo o canal da vagina. Conte até três e solte. Faça dez vezes. Depois, faça um movimento circular, como se usasse um bambolê. São quatro movimentos: primeiro, a pélvis vai para cima e para frente; depois o quadril vai para a esquerda; em seguida o bumbum deve ser impinado para trás; por último, o quadril vai para a esquerda. Fala dez giros completos. Total: 20 repetições. Nesse exercício, além da musculatura, você irá treinar a coordenação.

Saiba que na vagina temos vários anéis, veja na figura abaixo, o canal da vagina tem uma série de anéis sobrepostos uns aos outro, você percebe? São mais de 10 anéis, no entanto, 3 deles são os que mais interessam, um na entrada da vagina, um exatamente no meio do canal e o último, perto do colo do útero. Estes irão ser responsáveis pelas maiores sensações e tem a capacidade de se desenvolverem mais do que os outros devido aos exercícios.

Com o passar do tempo você irá aprimorar a técnica e aperfeiçoar-se, usando pêndulos de pompoarismo no lugar da banana. Você os introduzirá e tentará fazer movimentos de expulsar e sugar o pêndulo, simulando o pênis dentro de você. E usará cada vez pêndulos mais pesados, da mesma forma como um fisioculturista usa barras mais pesadas na academia.

Seu objetivo será fazer estes movimentos de sugar e expulsar estando em pé e segurando a corda do pêndulo para evitar que ele caia no chão. Você começará com pêndulos de 20 gramas, aumentando 15 gramas a cada 10 dias.

Cada cor de pêndulo tem um peso diferente, o cor de rosa, por convenção é o mais leve.

Depois de treinar com os pêndulos você passará há uma nova fase, a de usar as bolinhas tailandesas, que na verdade são mais complexas. Elas tem a mesma função que o pêndulo, porém, estão coligadas umas as outras através da corda, seu objetivo é a de sugar e depois expelir uma após a outra dentro do pênis.

Há também bolinhas de pompoar com mais de duas esferas. E para você manter sempre a higiene de suas bolinhas não as empreste para ninguém e as use somente quando não estiver com infecções ginecológicas. Lave com água e sabão e antes de usá-las novamente as mergulhe em álcool á 70% (70% de álcool e 30% de água, pois assim as bactérias são destruídas).

E agora, vamos começar a treinar e enlouquecer os homens? Tenho certeza de que você irá querer ser uma destas mulheres inesquecíveis, não?

Por: Vanessa de Oliveira

Verdades Sobre o Sexo

Quando você tem uma expectativa na sua mente mas na realidade algo diferente acontece, o resultado é a frustração. E a insatisfação sexual é uma das maiores frustrações entre os casais. Entre as principais causas disso, como não podia ser diferente, estão as expectativas que casais mal-informados têm para sua vida sexual.

A maior parte das informações sobre sexo que nos rodeiam no dia-a-dia vem dos filmes, novelas, reality shows, revistas masculinas e femininas, músicas, Internet, e conversinhas em barzinhos ou rodinhas de amigos. E se fossem informações boas, seria ótimo. Infelizmente, a realidade é que lidamos com um tsunami de informações falsas, distorcidas, e regadas a ignorância sobre o que realmente faz uma pessoal sexualmente realizada.

“Peguei ela desse jeito e daquele jeito…” “Fomos para o banco de trás e rolou lá mesmo…” “As crianças foram dormir e fizemos em cima da geladeira…”

É cada coisa que ouço por aí que se eu não soubesse melhor pensaria que essas pessoas estão se divertindo mais que minha esposa e eu.

O que muitos não sabem é que o órgão mais sensual no corpo do homem e da mulher não está abaixo da cintura. Há uma glândula em nosso cérebro chamada hipófise que é responsável pelo estímulo sexual. Muito antes do seu órgão genital entrar em ação, a excitação começa na mente.

Por isso o segredo de um casal sexualmente realizado não está em fazer ginástica olímpica na cama, pole dancing, assistir pornografia juntos, nem gastar rios de dinheiro com lingerie e brinquedos eróticos.

A cama—não o fogão, o carro, o chão etc.—é sem dúvida o lugar mais confortável para o casal, especialmente para a mulher.

O que cria o clima para o prazer da mulher é o homem ser cavalheiro, cuidadoso, e atencioso com ela o dia todo—como com nenhuma outra mulher. O que cria o clima para o homem é a mulher ser respeitosa para com ele, fazê-lo sentir que é o seu herói, e mostrar desejo por ele.

O fato é que muitos casais não investem na relação no dia a dia e mesmo assim à noite querem desfrutar de um sexo transcendental. Mais provável que haja uma briga dental…

Cuidado com as informações que você ingere sobre sexo. Elas criam expectativas em você. Se forem ruins ou contrárias ao que realmente excita seu marido ou esposa, você poderá iniciar uma grande frustração no seu casamento.

Uma melhor alternativa: sejam amantes um do outro. Esqueçam o que outros casais estão fazendo na cama. Foque no seu parceiro. Conversem. Descubram-se. E tratem bem um ao outro o dia todo.

É muito mais simples do que dizem por aí.

Por: Renato Cardoso